Inmetro lança cartilha que ensina a usar lâmpadas LED em casa

cozinha iluminação led

As lâmpadas LED caíram no gosto do consumidor brasileiro, que viu no valor das contas de energia o quando a tecnologia é econômica e eficiente, apesar do investimento ser maior no ato da compra quando comparado às antigas lâmpadas incandescentes, que já foram até proibidas.

Além de iluminarem melhor, as lâmpadas LED não esquentam, não possuem mercúrio e ainda permitem a criação de iluminação personalizada para cada tipo de ambiente.

Com o intuito de facilitar a presença da tecnologia em todas as casas, o Inmetro lançou uma cartilha que explora em detalhes as lâmpadas LED, ensinando as melhores maneiras de utilizá-las, as opções com maior durabilidade, e o consumo de energia. Confira os principais pontos da cartilha:

Tonalidade e adequação

Tonalidade das lâmpadas LED
Tonalidade das lâmpadas LED

Lâmpadas LED alaranjadas, de tom “quente ou morno”, são as mais próximas da cor emitida pelas lâmpadas incandescentes. A iluminação LED nesse tom é mais apropriada para ambientes de descanso, como quartos e salas de TV.

Já as lâmpadas LED de tom branco ou neutro, são mais comuns em ambientes de trabalho. As de tom branco-azulado, classificado como “frio”, são mais utilizadas em cozinhas, áreas de serviço e outros lugares que precisem de iluminação difusa e plena.

Voltagem e potência

Banheiro com iluminação em LED atrás do espelho
Banheiro com iluminação em LED atrás do espelho

É possível encontrar no mercado quatro opções de lâmpadas LED: 12 volts – ideais para luminárias, 127 volts, 220 volts ou bivolt. Antes de comprar as suas, é importante verificar quais voltagens são compatíveis com a rede elétrica da sua casa.

Uma incandescente de 60W corresponde a uma fluorescente de 15 W, que por sua vez equivale a uma LED de 9W. Como todas possuem fluxo luminoso semelhante, é justamente a menor potência que faz com que as lâmpadas LED tenham melhor eficiência luminosa e gastem menos energia.

Identificação

Etiqueta Nacional de Conservação de Energia
Etiqueta Nacional de Conservação de Energia

Através da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia, que estará presente na embalagem das lâmpadas LED, será possível diferenciar com facilidade a eficiência energética e as especificações de todas as opções presentes no mercado.

Por isso, se você não entende muito bem o que significa potência, voltagem e todos aqueles números, basta observar o índice de eficiência da lâmpada e escolher a melhor opção, assim como já é feito com geladeiras e fogões.

Dicas e cuidados

Cozinha com iluminação em LED
Cozinha com iluminação em LED

Evite deixar as lâmpadas LED expostas à ação da umidade e maresia, para evitar a corrosão de componentes metálicos. Também evite utilizá-las em luminárias fechadas, e com pouca circulação de ar, pois o calor emitido pela lâmpada não se dissipa e isso diminui a sua vida útil, que convenhamos, é longa: uma lâmpada LED pode durar 10 anos ou mais.

Office com iluminação LED nos nichos e prateleiras
Sala de estar com iluminação direcional

No caso da iluminação direcional, com os famosos spots, as lâmpadas não devem ser instaladas com o foco luminoso voltado para qualquer obstáculo próximo, pois isso prejudica a difusão da luz para o resto do ambiente.

E para não pesar no bolso, a dica é trocar primeiro as lâmpadas antigas dos cômodos mais utilizados, como cozinha, banheiro e quartos.

Acesse a cartilha completa do Inmetro para mais dicas, informações e cuidados com as lâmpadas LED. 

Fonte e credibilidade: https://www.hometeka.com.br/f5/inmetro-lanca-cartilha-sobre-o-uso-das-lampadas-led-em-casa/