Materiais elétricos: quem deve comprar?

Uma pergunta simples que eu sempre encarei com uma resposta simples. Quem deve comprar material elétrico? O cliente ou o eletricista?

Minha resposta sempre foi o eletricista, mas nem sempre é isso que acontece. É muito comum entrar em uma loja de materiais elétricos e ver leigos comprando materiais elétricos, estes leigos geralmente são os contratantes do serviço a ser executado. Houve um caso de eu entrar na loja e escutar uma senhora falando para o vendedor que queria outro disjuntor pois achou aquele feio e grande (ela falava de um disjuntor padrão NEMA, que o eletricista tinha solicitado que ela comprasse para a execução do serviço), era um disjuntor para o medidor de entrada que pela norma da concessionária CEMIG tem de ser o padrão NEMA, ou seja, não importava se era bonito ou grande ela teria que levar aquele. O vendedor instruiu que ela contatasse o eletricista e confirmasse qual o modelo necessário.

O eletricista é o profissional do mundo da elétrica que tem o poder de decidir qual o componente deve ser comprado de acordo com um projeto ou cálculo pré estabelecido, o cliente não tem o conhecimento técnico necessário para mudar a especificação técnica de um componente.

Miluz tomadas e interruptores Schneider.

Linha Miluz de tomadas e interruptores.

 

Uma grande parte da motivação para que os clientes comprem eles mesmo os componentes elétricos é o preço. O cliente tende a querer sempre o produto de melhor qualidade e menor preço. Mas devido a falta de experiência, conhecimento técnico e ânsia de economizar, muitas vezes a compra é feita apenas levando em conta o fator economia. Muitas vezes é neste momento que o cliente deixa de lado a qualidade, e o pior, a especificação técnica.

Para o profissional do mundo da elétrica é vantajoso que o material seja comprado por ele. Os materiais de melhor qualidade geralmente oferecem um menor tempo de instalação, mais conforto no manuseio, operação e instalação, e redução de retrabalho por mal dimensionamento ou compra errada de material. Logicamente o tempo desprendido para esta compre deve ser acrescido ao orçamento do serviço.

Considerando o eletricista, é muito importante que para saber indicar, dimensionar e escolher tecnicamente os componentes também se deve estudar as linhas de produtos e catálogos de fabricantes, conhecer a fundo as tecnologias utilizadas e os métodos de instalação para garantir a qualidade do serviço e a escolha correta.

IDR Schneider.

Interruptor diferencial residual.

 

O portal do Parceiro da Schneider Electric, um grande fabricante de componentes elétricos, é uma grande ferramenta que tem o intuito de levar conhecimento aos eletricistas e profissionais da área de eletricidade com relação a vários temas, incluindo conhecer cada vez melhor os produtos e componentes utilizados nas instalações elétricas. Este portal é fonte para qualificação do profissional e mostra como esta empresa preza pela segurança dos usuários e profissionais.

Segurança é o principal fator que deve ser levado em consideração para a escolha dos componentes. Para que este quesito tenha o peso necessário é importante que os eletricistas e profissionais de eletricidade conheçam os riscos de se usar componentes errados ou mal dimensionados e, que seu poder de influenciar o cliente quanto a esta segurança seja firme e seguro. Deve-se lembrar o cliente que o barato as vezes sai caro e que não se deve arriscar.

Um bom bate papo entre cliente e eletricista pode ajudar muito a resolver estas questões. O cliente deve expor suas necessidades estéticas e funcionais, e o eletricista deve com seu conhecimento e experiência indicar ao cliente a melhor linha de produtos e as melhores opções que possam atender as questões estéticas, funcionais e principalmente técnicas, desta forma todos ganham na questão segurança.

 

Fonte e credibilidade: https://www.mundodaeletrica.com.br/materiais-eletricos-quem-deve-comprar/