Monofásico, Bifásico e Trifásico: saiba a diferença entre as redes

O fornecimento de energia elétrica é feita da mesma forma para todos os consumidores. Agora, a maneira como essa rede será instalada em cada casa, apartamento ou imóvel comercial vai depender das necessidades de consumo desses locais. É aí que entram os sistemas de fornecimento de energia.

Agora, você sabe qual a diferença entre os sistemas de rede Monofásico, Bifásico e Trifásico?

Confira tudo sobre o assunto!

Eu preciso saber se meu apartamento é Monofásico?

Antes de entender os sistemas, o que precisa ficar claro é o porquê dessa informação ser tão importante.

Monofásico ? Bifásico ? Trifásico ?

Cada um dos sistemas está preparado para receber uma demanda específica de uso energético. Isso significa que, a depender da quantidade de eletrodomésticos em determinada casa ou escritório, será necessário um modelo de fornecimento elétrico adequado.

Em uma residência que tenha uma rede monofásica, por exemplo, de uma maneira geral, a rede é capaz de alimentar um chuveiro, 6 lâmpadas e 10 tomadas.

Quando vamos analisar o sistema trifásico, mais potente entre os três, já é possível ter até 3 chuveiros, 15 lâmpadas e 17 tomadas. Isso tudo junto a aparelhos que consomem mais energia, como um freezer, ferro de passar ou um ar-condicionado.

Sendo assim, o ideal é que, antes de comprar um aparelho que consuma uma carga maior de energia – como o ar-condicionado ou uma geladeira -, você conheça a estrutura da residência ou ponto comercial onde será instalado.

É preciso saber se o sistema é monofásico, bifásico ou trifásico, para ter a certeza de que o local está preparado para aquele consumo.

Como saber se o sistema de rede da casa é monofásico, bifásico ou trifásico?

É possível conferir através da própria conta de energia elétrica, que apresenta essa informação.

Caso não esteja nela, a outra opção é contar com a ajuda de um eletricista, que irá conferir a quantidade de saídas de fios no prédio.

Qual a diferença entre monofásico, bifásico e trifásico?

Vamos tentar traduzir a questão técnica envolvida.

Durante o projeto de construção é estimada o consumo total dos eletrodomésticos a serem utilizados. Sabendo esse volume total, é possível definir se será necessário um sistema mais simples, que suporta um menor consumo, ou uma rede mais potente.

Considerando que, cada vez mais, as pessoas usam uma quantidade maior de aparelhos eletrônicos, o modelo mais comum atualmente é a rede trifásica. Nesse mesmo sentido, o sistema monofásico é pouco utilizado hoje em dia, sendo presente nas edificações mais antigas ou então naquelas com baixo consumo de energia.

O que acontece se um ar-condicionado 220V for ligado em uma rede 110V?

Basicamente, nada. Muito diferente do que acontece quando o inverso é realizado.

Quando uma pessoa liga um aparelho 220V em uma rede bifásica – de 110V – o eletrodoméstico não irá queimar ou produzir um curto-circuito. Isso porque a potência dele é maior do que a energia disponível naquela rede.

No entanto, como a potência do sistema elétrico não é suficiente para o consumo do aparelho, como um ar-condicionado no modelo Split, que a grande maioria é 220V, por exemplo – ele não vai funcionar com toda a sua capacidade por não ter energia o suficiente o alimentando. Ou seja, seu desempenho ficará comprometido.

Agora, caso aconteça o contrário, o problema é ainda maior. Caso um aparelho 110V seja conectado em uma tomada 220V, é possível que haja sobrecarga de tensão, causando um curto-circuito.

Entenda cada uma das redes

Agora que você já sabe que cada sistema elétrico é capaz de alimentar uma quantidade total de aparelhos ligados, precisamos entender tecnicamente como funciona cada uma delas.

É importante ressaltar ainda que, caso você se mude para uma casa ou compre um imóvel comercial que seja monofásico, é possível transformar para uma rede bifásica com a ajuda de um eletricista. Com a técnica necessária, ele fará a ligação elétrica com disjuntores específicos.

Já para mudar um sistema monofásico ou bifásico para uma rede trifásica, será imprescindível o envolvimento de um engenheiro eletricista. O papel do profissional será avaliar o projeto e acompanhar a execução.

Então entenda melhor as características de cada rede:

Rede Monofásica

Principalmente utilizado nas residências de estrutura antiga, com baixo consumo de energia ou em áreas rurais. Esses lugares, geralmente, possuem também geradores de energia, caso seja necessário. O sistema monofásico conta com dois fios, 1 neutro e 1 fase, com voltagem de 127V ou 220V.

A rede é capaz de alimentar até 8.000 Watts de potência.

Rede Bifásica

A rede bifásica é a mais comum de ser encontrada nas construções atuais, com três fios: 2 fases e 1 neutro. A voltagem nesse caso é, normalmente, de 127V ou 220V, alcançando entre 12.000 e 25.000 Watts de potência. Lembrando que, a voltagem vai depender do fornecedor de energia elétrica e varia em cada região do Brasil.

Rede Trifásica

Já a trifásica, quando é prevista um consumo maior de energia naquela estrutura, apresenta quatro fios, sendo 3 fases e 1 neutro. A rede trifásica pode ser 220V ou 380v, com uma capacidade de carga total de até 75.000 Watts de potência.

Agora que você já sabe tudo a respeito das redes monofásica, bifásica e trifásica.

Fonte e credibilidade: https://blog.centralar.com.br/monofasico-bifasico-e-trifasico-saiba-a-diferenca-entre-rede-eletrica/