Saiba como proteger seu filho de choques elétricos Inofensivos aos olhos de uma criança, as tomadas e cabos podem ser fatais

Depois de carregar o celular, você se lembra de tirar o fio da tomada? Essa simples atitude pode evitar acidentes graves. Em dezembro sw 2016, um caso de uma menina que morreu eletrocutada ao brincar com o carregador de celular repercutiu em todo mundo após uma enfermeira postar fotos das queimaduras na internet.


O acidente ocorreu no Cazaquistão. Segundo relatos, a mãe estava cansada e acabou cochilando ao lado da filha, que ficou brincando com o aparelho. Ao acordar, ela estranhou a menina estar muito quieta e viu que a filha não tinha qualquer pulso ou respiração. A mãe levou a menina no hospital, no entanto, já era tarde demais.
O caso acendeu o alerta sobre o perigo dos choques elétricos após uma enfermeira do local publicar na internet as fotos das queimaduras no braço e na mão da criança. Na legenda, ela deixou um recado: “não deixem seus bebês sem vigilância com carregadores”.
Um amigo da família revelou que a criança colocou o cabo na boca e começou a mastigá-lo. Acredita-se que isso teria deixado os fios expostos, provocando o choque elétrico.
Outro caso parecido ocorreu no Brasil. Um bebê de sete meses morreu eletrocutado em sua casa, em Teresina (PI). Suspeita-se que o menino teria colocado na boca o fio do carregador que estava conectado na tomada, mas sem o aparelho.
PerigosTodo cuidado é pouco. Inofensivos aos olhos de uma criança, as tomadas e cabos podem ser fatais. Inclusive os cabos de aparelhos que acabaram de ser retirados da tomada também podem ser perigosos. Eles podem conter corrente elétrica e por esse motivo não devem ir direto para as mãos das crianças. O ideal é conversar com o filho e explicar que ele não pode, de jeito nenhum, mexer em tomadas e fios. Assim, ele aprende a se precaver, mesmo quando você não estiver por perto.
Choques acima de 50 volts (voltagem mais baixa do que a da maioria dos eletroeletrônicos) já podem provocar ferimentos. Os pequenos têm mais risco de sofrer queimaduras (internas e externas), arritmia, insuficiência renal e até parada cardíaca e respiratória.
A criança pode ainda ficar presa na tomada ou no fio. A descarga trava a musculatura, impedindo-a de abrir as mãos se soltar. Caso isso aconteça, não toque nela, pois a corrente elétrica pode passar para você. O primeiro passo é desligar o disjuntor. Depois, com um material isolante, como um cabo de vassoura ou luvas de borracha, retire a criança da fonte de energia.  Cheque se ela está respirando e se necessário faça uma massagem cardíaca. Chame uma ambulância ou leve a um hospital mais próximo. Mesmo que o choque seja leve é importante ter sempre uma avaliação médica para excluir a possibilidade de danos internos.
Evite acidentes
– Verifique o estado das fiações elétricas. Os fios devem ficar isolados em locais adequados como canaletas e conduítes e longe do alcance das crianças.
– Evite ligar vários aparelhos eletrônicos em uma mesma tomada.
– As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo coberta por móveis.
– Cuidados com eletrodomésticos em mau estado de conservação, como ventiladores e geladeiras. Eles podem causar choque e curto circuito. Se possível, faça revisões ou a troca desses produtos.
– Não coloque objetos metálicos (facas, garfos etc.) dentro de equipamentos elétricos.
– Após o uso não deixe aparelhos eletrônicos ligados à tomada.
– Nunca mexa em eletrônicos com as mãos molhadas.
– Evite tocar nas partes metálicas de carregadores de celular enquanto estiverem plugados na tomada.

Fonte e credibilidade: https://www.alternativa.co.jp/Servico/View/75737/Saiba-como-proteger-seu-filho-de-choques-eletricos