Dispositivo De Proteção Contra Surtos: Linhas De Sinal

A NBR 5410 apresenta considerações sobre a utilização dos dispositivos de proteção contra surtos em linhas de sinal.


Em 9.3 da NBR 5410 são feitas considerações sobre proteção por DPS em linhas de sinal, a saber.

Localização

 

Em 6.3.5.3 da NBR 5410, para a proteção de linhas de sinal (vídeo, dados, telefonia) há algumas prescrições a serem acrescidas àquelas feitas para linhas de energia, porém o vínculo com os barramentos de equipotencialização é fundamental e deve ser mantido:

  • Linha originária da rede pública de telefonia: deve ser instalado um DPS por linha. Os DPS devem ter características curto-circuitante e estar localizados no distribuidor geral de sinal (DGS) da edificação onde está o terminal de aterramento de telecomunicações (TAT). O TAT será ligado ao aterramento através do BEP. O DGS deve estar situado o mais próximo possível do BEP;
  • Linha externa originária de outra rede pública que não a de telefonia: o DPS, instalado para cada linha de sinal, deve ser localizado junto ao BEP;

A Figura 1 ilustra as duas prescrições anteriores.

Figura 1 – Indicação do posicionamento dos DPS de sinal no 1nível de proteção.

  • Linha que se dirija a outra edificação, a estruturas anexas ou no caso de linha associada à antena externa ou outras estruturas no topo da edificação: o DPS deve ser localizado junto ao BEP, ao BEL, ou ao terminal “terra”, o que estiver mais próximo em cada edificação ou estrutura (Figura 2).

Figura 2 – Proteção de sinal para comunicação entre edificações.

 

Os DPS sempre devem ser conectados na linha de sinal com a referência de equipotencialização mais próxima. Dependendo do posicionamento do DPS, a referência de equipotencialização mais próxima pode ser o BEP, o TAT, o BEL, o condutor PE ou, caso o DPS seja instalado junto a algum equipamento, o terminal conectado à massa desse equipamento. O eletroduto por onde passará o condutor do sinal deve ser metálico, ter continuidade elétrica garantida e suas extremidades interligadas aos eletrodos de aterramento de cada edificação.

 

Seleção dos DPS de telefonia

 

Assumindo que o DPS venha a ser instalado no DGS da edificação são especificadas a seguir as características exigíveis dos DPS destinados à proteção de linhas de telefonia em par trançado:

 

  • O DPS deve ser do tipo comutador de tensão, simples ou combinado (com limitador de sobretensão em paralelo);
  • Tensão de disparo c.c.: O valor da tensão de disparo c.c. deve ser de no máximo 500 V e, no mínimo, 200 V, quando a linha telefônica for balanceada ou 300 V, quando a linha telefônica não for aterrada (flutuante);
  • Tensão de disparo impulsiva: O valor da tensão de disparo impulsiva do DPS deve ser de, no máximo, 1 kV;

Corrente de descarga impulsiva:

  • No mínimo, 5 kA, quando a blindagem da linha telefônica for aterrada, e
  • No mínimo 10 kA quando a blindagem não for aterrada.
  • Para condições onde a proteção seja contra os efeitos diretos dos raios, recomenda-se a comparação dos valores de correntes de primeira descarga atmosférica possíveis (já demonstrada para DPS de energia) e a adoção do maior valor.

Corrente de descarga c.a: O valor da corrente de descarga c.a. do DPS deve ser de, no mínimo, 10 A.

Protetor de sobrecorrente:

  • In do protetor entre 150 mA e 250 mA para a linha telefônica aterrada (balanceada);
  • In do protetor (opcional) entre 150 mA e 250 mA para quando a linha telefônica for flutuante (não aterrada).

Interligação direta da blindagem ou capa metálica de um cabo de sinal a equipotencialização ou à massa de um equipamento:

Quando a blindagem ou capa metálica de uma linha de sinal for conectada ao BEP, TAT ou à massa de um equipamento através de DPS, este deve ter as seguintes características:

  • Tipo comutador de tensão;
  • Tensão disruptiva c.c. entre 200 V e 300 V;
  • Corrente de descarga impulsiva de no mínimo 10 kA (8/20 µs);
  • Corrente de descarga c.a. de no mínimo 10 A (60 Hz / 1 s).

 

9.3.3 Seleção dos DPS para outros tipos de sinais

 

Os critérios para a seleção de DPS destinados à proteção de outros tipos de linha de sinal devem ser compatibilizados com os fabricantes dos DPS e dos equipamentos a serem protegidos. Em alguns casos há necessidade de casamento de impedâncias e/ou frequências.

 

9.3.4 Falha do DPS de sinal

 

O DPS deve ser do tipo “falha segura”, isto é, deve incorporar proteção cuja atuação provoque curto-circuito da linha de sinal para a terra.

 

 

Fonte e credibilidade: http://www.eletricistaconsciente.com.br/pontue/fasciculos/guia-nbr-5410-fasciculo-25/dispositivo-de-protecao-contra-surtos-linhas-de-sinal/